quarta-feira, 28 de junho de 2017

Reforma da política já.


"Não existe democracia sem política. Não existe política sem debate." Paulo Skaf



Participei no dia 26 de junho de 2017 do Seminário Reforma Política Já

Foi um dia de debate sobre a necessidade de termos uma reforma na política.
Segue abaixo alguns trechos de pontos importantes discutidos pelos palestrantes:

Com cerca de 14 milhões de desempregados é importante revermos como estamos votando, como estamos cobrando nossos políticos e para onde vamos como país, como sociedade.

Há necessidade de mudanças nos sistema político brasileiro, todas reformas que estão no Congresso são importantes, mas a reforma política é mais importante para a retomada da democracia, temos que votar rápido até outubro para que tenha a validade já na próxima eleição de 2018.


O Jornalista Gerson Camarotti foi o moderador do dia e instigou vários debates com os convidados.
A sociedade está desencantada com o sistema político e surge a questão se o voto deveria ser obrigatório ou facultativo.

O advogado Fernando Neisser lembrou que há uma insatisfação em vários países onde o voto facultativo já está em vigor, lembrou de países da Europa que na primeira crise a população não se sentiram representados, disse também sobre a importância de organizar os partidos políticos e acabar com a distribuição de dinheiro público.

A advogada Maria Claudia Bucchianeri Pinheiro comentou sobre o presidente americano Donald Trump que teve uma quebra da representabilidade de seus eleitores.

O Chile experimentou a mudança do voto obrigatório para o facultativo e teve na ultima eleição uma abstenção de 64% nas urnas.

O professor Roberto Romano falou do desencanto quando se começa a falar de política no Brasil, mencionou que se a comunidade não tiver uma educação básica, principalmente em matemática, será difícil o eleitor saber a probabilidade entre um candidato ser melhor que o outro, ele citou um exemplo muito bom:

  • O eleitor que consegue ver a probabilidade de votar no candidato e ganhar um presente pessoal mostra que ele tem uma educação muito básica.
  • Se o eleitor consegue ver a probabilidade de votar no candidato que traz um beneficio para a sua cidade ou a sua região, já mostra um conhecimento maior em matemática e educacional maior.
  • O ideal seria o eleitor se preocupar com a probabilidade do candidato conseguir resultados não somente para a sua região, mas para todo o estado ou todo o país, onde mostraria um nível mais avançado de educação do eleitorado.



Tivemos no período da tarde a participação de Gilmar Mendes ministro do STF e presidente do TSE, que proferiu uma palestra sobre o momento que estamos passando, reforçando das principais reformas que o Brasil passou nos últimos anos, que no próximo ano celebraremos 30 anos da constituição, comentou que dos 4 presidentes que foram eleitos desde 88, 2 deles tiveram seus mandatos reduzidos pelo impeachment.



Os governos foram negligenciando ao evitar as reformas políticas.

Ele reforçou que não existem outro modo de governar o país além da democracia e a política, o que é necessário é aprimorar o modo atual é preciso refletir sobre isso.

Deixou um recado para os jovens que não viveram a Ditadura, que devem entender que a democracia que vivemos hoje é algo que não podemos perder e devemos valorizar muito investindo toda energia útil na reforma política e que talvez essa seja a matriz de todas as reformas.

Foi um momento muito oportuno para os presentes entenderem um pouco mais das possibilidades que existem nas reformas que devem ser aprovadas.






Que Deus nos guie nesse Brasil!

Até o próximo artigo.

Nivaldo J Silva, Mestre em Engenharia de Produção pela UNIMEP, diretor do CIESP de Santa Bárbara d´Oeste, diretor do ecommerce CirurgicaSantaBarbara.com.br